Translate

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Neste imóvel recebi o mais valioso presente

shopping Itaquera
Shopping metrô Itaquera

     terminal do metrô itaquera
  Terminal Metrô Itaquera












No ano de 1.991, eu casei e fui morar no terceiro andar, do mesmo prédio onde morava antes, no bairro de Arthur Alvim, o apartamento era um pouco maior do que o anterior tinha dois dormitórios, sala, cozinha, área de serviço, e garagem, porém um pouco menos de escadas. Foram quinze anos morando neste imóvel, muita coisa boa aconteceu, tive vizinhos que já mais poderei esquecê-los, e outros que estarão sempre no meu pensamento, porque já partiram para outra vida. Para comprar este apartamento foi muito difícil, vendi uma linha de telefone, que naquela época era luxo, e poucas pessoas tinham no bairro, um Fiat uno motor 1.5 R todo equipado, e o restante em dez parcelas, corrigidas mensalmente, naquela época a inflação era altíssima e para dar conta de pagar, só Deus sabe a luta que foi. Quando eu e minha esposa fomos morar neste apartamento, dormimos muito tempo em um colchão de casal no chão, porque ainda estávamos pagando as prestações deste imóvel, e não tínhamos dinheiro, e nem como assumi mais prestações. Depois troquei todo o piso deste imóvel para piso frio, porque era de carpete, era difícil de limpar, e colocamos um armário em um dos dormitórios. No ano de 1.994, minha esposa me presenteou com um filho maravilhoso, que é o mais valioso presente que alguém possa receber, e que já recebi até hoje. Ele passou a fazer parte da história da minha vida. No térreo tinha bastante espaço, e ali eu costumava descer com meu filho, e brincava com ele. Ele gostava de ficar correndo, gostava de brincar com uma bola, ou ficar tomando sol e vendo o que acontecia por lá. Quando recebia alguém no apartamento, às vezes ficava alguém pelos corredores, porque não cabia todos lá dentro. O meu dormitório também só cabia a cama que era muito grande para aquele quarto, só que meu filho adorava ficar em cima da minha barriga, pulando para sentir o colchão subir e descer. O tempo não pára, meu filho cresceu, eu fiquei mais velho, já era hora de mudar para um novo lugar.